CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

Nº Páginas: 56/60 (incluindo capa), totalmente a cores
Formato: 21x29,7cm
Papel: Capa – Printomat 3D 200g/m2
Miolo: Printomat 3D 115g/m2

Periodicidade: Mensal
Tiragem Média: 3000 exemplares

Propriedade : Ultraprint, Comunicação & Artes Gráficas, Lda.


PÚBLICO-ALVO

Empresas Gráficas
Empresas Fornecedoras
Empresas Informáticas
Agências de Publicidade
Agências de Meios
Agências de Comunicação Bancos de Imagem
Designers
Direcções de Marketing

HUAWEI P20 e HUAWEI P20 ou o Renascimento da Fotografia

Num evento exclusivo que decorreu hoje no Grand Palais em Paris, a Huawei Consumer Business Group revelou os mais esperados HUAWEI P20 e HUAWEI P20 Pro.

O HUAWEI P20 Pro possui a primeira câmara tripla Leica no mundo num smartphone e ambos os dispositivos incluem funcionalidades avançadas de Inteligência Artificial (IA) sem precedentes, combinando tecnologia e arte numa experiência móvel de tirar o fôlego. A Huawei criou grandes expectativas para a fotografia mobile com o lançamento do HUAWEI P9, o primeiro com dupla câmara Leica.

Com o lançamento da série P20, a Huawei torna a captação de fotografias de qualidade profissional, sem esforço, numa experiência para todos. “Procuramos inspirar-nos nos artistas que  continuamente se envolvem com o nosso modo de abordar o design e inovação”, afirmou Richard Yu, Chief Executive Officer, Huawei Consumer Business Group. “A série HUAWEI P20 é criada no seguimento da colaboração com a Leica. Com a inovadora câmara de lente tripla no HUAWEI P20 Pro, complementada por inteligência artificial e novas cores impressionantes, a série HUAWEI P20 é pensada para refletir beleza e luz. O HUAWEI P20 e o HUAWEI P20 Pro permitem que os consumidores mais entusiastas captem e partilhem o brilho do mundo ao seu redor sem igual”.

 

huaweip20_02

 

Atingindo os mais elevados resultados de DxMark’s 1 , a série HUAWEI P20 inclui sistemas de câmara avançados que oferecem aos consumidores funcionalidades que melhoram todas as fases da experiência fotográfica.

A série HUAWEI P20 apresenta um novo sistema de câmara avançado que oferece aos consumidores recursos que aperfeiçoam a experiência da fotografia no smartphone. O HUAWEI P20 Pro possui uma câmara tripla Leica com a maior quantidade de pixéis conseguida no sector dos smartphones mais recentes – a configuração da câmara é composta por um sensor RGB de 40MP, um sensor monocromático de 20MP, um sensor de 8MP com lente telescópica. Inclui ainda uma nova e exclusiva tonalidade Leica com um ISP dedicado e sensor de temperatura e cor que garantem uma melhor reprodução de cores.

 

huaweip20_03

 

O HUAWEI P20 baseia-se nos princípios do seu antecessor, mas com uma nova câmara dupla Leica, um sensor de 12MP com uma dimensão de pixel de 1,55 μm e um sensor monocromático de 20MP, melhorando a capacidade do HUAWEI P20 na captação de fotos em ambientes de pouca luz. Os dispositivos da Série HUAWEI P20 suportam estabilização de seis eixos e super câmara lenta de 960fps, que é 4x maior que a padrão de 240fps e captura detalhes que não podem ser vistos a olho nu.


Huawei apresenta All-Connected World no Mobile World Congress em Barcelona

A Huawei Consumer BG apresentou hoje, o primeiro notebook Fullview Huawei MateBook X Pro, o Huawei MediaPad M5 e o equipamento Huawei 5G CPE, o primeiro terminal doméstico que suporta o standard de telecomunicações 3GPP (3rd Generation Partnership Project) mundialmente reconhecido para 5G.

Com um design totalmente renovado e avanços verdadeiramente notáveis no seu desempenho, estes novos dispositivos demonstram o poder que a tecnologia assume na oferta de experiências inovadoras.  A Huawei reforça, assim, a sua visão de um mundo interligado ao investir significativamente em investigação e no desenvolvimento. “Tornamos como nossa missão superar os limites do que a tecnologia e a inovação são capazes de realizar. Com a introdução do novo HUAWEI MateBook X Pro, o HUAWEI MediaPad M5 e do primeiro CPE 5G do mundo, estamos a cumprir a nossa promessa de oferecer equipamentos revolucionários que redefinem toda a experiência informática.”.

O Huawei MateBook X Pro é um notebook ultra fino, de 13,9 polegadas, com um novo ecrã Huawei FullView de 3K e a proporção de 91% de ecrã para o corpo que permite aos utilizadores uma experiência visual imersiva. Este novo MateBook é vem com um processador Intel® Core™ i7 / i5 de 8ª geração, uma bateria de longa duração de 57.4Wh e uma discreta placa gráfica NVIDIA® GeForce® MX150 com 2GB GDDR5 – tornando-se um dos notebooks mais leves e potentes do mercado. O Huawei MateBook X Pro vem com um revolucionário sistema de som Dolby Atmos e altifalantes personalizados. Com o Dolby Atmos Sound System, os sons fluem em redor do utilizador, fazendo-o sentir parte da ação.

O Huawei MediaPad M5 vem equipado de um ecrã em vidro 2,5D de 2K, as elegantes e potentes versões de 8,4 e 10,8 polegadas respectivamente, integram dois ou quatro altifalantes estéreo sintonizados pela Harman Kardon. A tecnologia Huawei Histen oferece áudio 3D para uma experiência de som imersiva e suporta o áudio Hi-Res para uma qualidade de som excepcional. O Huawei MediaPad M5 Pro de 10,8 polegadas inclui uma M-Pen Huawei de alta precisão com 4.096 níveis de sensibilidade, para que a experiência de utilização, a escrever ou a desenhar, seja fácil e sem esforço.

Por fim, o Huawei 5G CPE suporta o standard de telecomunicações 3GPP reconhecido mundialmente para 5G. Disponível em configurações de indoor e de outdoor, oferece velocidades de downlink super rápidas de até 2Gbps e pode operar em redes 4G e 5G. Adota o chipset Balong 5G01 desenvolvido internamente pela Huawei – o primeiro chipset comercial do mundo que suporta o standard 3GPP – e suporta todas as frequência de 5G, incluindo sub-6GHz e onda milimétrica (MMW).

O Huawei MateBook X Pro e o Huawei MediaPad M5 estarão disponíveis na China, Europa, América do Norte, Ásia-Pacífico, Oriente Médio a partir da primavera deste ano.


Um sorriso ao som adaptativo

por João Gata

 

Façam como eu. Apanhem o metro. Escolham um banco o mais próximo de uma das portas. Olhem as pessoas. Os seus olhos, a cor dos dentes, o penteado, a armação dos óculos. Só depois os pertences, a roupa, os acessórios. Agora concentrem-se e reparem… agarrado com as duas mãos ao varão principal, é alto, esguio, deve andar na casa dos 20 anos. Moreno, dentes brancos, não é fumador. Cabelo preto, comprido e ondulado. Pela forma como abraça o varão e nele encosta o peito mostra que é pouco seguro de si. Deve conhecer problemas no liceu ou então no primeiro ano de faculdade. As miúdas? Talvez. Não deve ter sorte na conquista. Não é popular. Tem cara de Manuel. Manuel, não. Gabriel, tem mais cara de Gabriel.

Faltam meia dúzia de paragens para o meu destino e submeto-me ao poder do smartphone. Ligo a App Headphones Connect após uma breve passagem pelos e-mails e escolho o modo de cancelamento de ruído adaptativo. O que vou ouvir? Decido pela escolha aleatória da pasta “em trânsito pelas catacumbas de Lisboa”.

Olhemos para a porta mais afastada, por sinal, do lado que não abre. Encostado nas costas de um dos bancos está, pelas brancas no cabelo e pequeno papo, um trintão. Aros modernos e flexíveis. Barba por fazer. Olha com desinteresse as cores, objectos e linhas horizontais que a velocidade provoca. De vez em quando estuda atentamente o mapa. Está um pouco perdido, nota-se que não costuma utilizar os transportes públicos. Estou na dúvida se é um publicitário brasileiro ou um free-lancer lisboeta. Assim sendo vou tratá-lo por Marco. Dá para os dois lados do mundo.

A seu lado e encostado à porta viaja um jovem bancário. Cabelo mais comprido que a norma exige, mas que se desculpa pela juventude dos vinte e poucos. Barba escanhoada, passando a vista por um qualquer suplemento económico. Mal desvia o olhar da informação que julga vital para a sua vida, o que denota uma enorme dependência daquilo que os outros pensam dele. Zé Manel, assim mesmo, pelo diminutivo e conjugação.

Encostada às costas do outro banco está uma rapariga baixa e mais gorda do que hoje é aceitável socialmente. Cabelo curto com madeixas louras e laranja. Uma mescla de tons que acompanham a palete colorida e bem disposta com que brindou a face. Por baixo das enormes e artificiais pestanas, os olhos são pequenos, tristonhos e olham o nada. Corpo cansado e embalado, por vezes sacudido, pelas curvas dos túneis. Pela hora deve estar de regresso a casa no primeiro de diversos transportes. Deve ser empregada numa loja de centro comercial. Maria, Ana Maria como o Bond. Percebo que reparou na minúscula luz azul do bluetooth a piscar dentro dos meus ouvidos, uma em cada um. É educadamente curiosa ao tenta perceber o que é sem dar nas vistas, mas mal a olho, desvia o olhar o mais rapidamente possível. Não evito um sorriso e ela também não.

Mesmo à minha frente sentam-se duas jovens modernas e rebeldes quanto baste. Uma é francamente bonita. Tem qualquer coisa de africana. A tez… não, é clara demais. Acima de tudo o cabelo muito negro, meio em rasta, meio em trança, que condizem com os magníficos olhos. Uma boca rasgada com lábios generosos mas que não chegam a ser africanos. Vão, ou estão, a fazer as delícias de um qualquer jovem. A simpatia natural tem lógica se lhe chamarmos Inês. A sua amiga Marta tenta ser-lhe igual mas dificilmente o conseguirá. Já apresenta algumas olheiras que denotam muito tempo agarrada ao verbo. O cabelo, castanho claro, não tem o volume nem a beleza do da Inês, está comprido e enrolado desordenadamente, o que também não a favorece. Ambas devem estudar comunicação social. Inês deverá ser repórter de moda. Marta irá escrever grandes peças sobre os problemas que afectam a comunidade. Serão amigas por muitos mais anos.

Há quem entre, quem saia e os que continuam.

Um dos que ficou escolheu o centro do corredor para prosseguir viagem. São quase dois metros de musculação levada a sério. Cabelo puxado para trás num misto de gel e óleo natural, pente 1 nos lados com uma espiral rapada numa espécie de desenho tribal. Masca pastilha. Usa auscultadores dourados e prateados, enormes sem isso ter a ver directamente com a potência sonora e de assinatura norte-americana. Absorto, lá vai abanando ligeiramente a cabeça ao compasso quaternário que também lhe move um dos pés. Tem um nome gravado num cachucho que lhe apanha três dos cinco dedos: Guido. Fico a pensar se ele percebe que também estou a ouvir música e que não faço um alarde tão grande. Algumas das pessoas que lhe estão próximas desviam-se depois de uma careta desagradável, mas Guido está-se pouco nas tintas. Uma das vantagens dos meus micro auriculares é exactamente esta, a de não emitir decibéis para fora com aquele som agudo e irritante que nos entra pelo juízo dentro.

De repente, uma paragem mais brusca provoca a perda de equilíbrio de quase toda a gente. Até eu, que continuo sentado, tive de atirar um pé mais para a frente para servir de travão ao embalo. Alguns viajantes desabafam surdamente qualquer coisa enquanto outros, já batidos, controlam o seu corpo de uma forma mecânica, quase automática. O som dos meus auriculares atenua-se automaticamente para deixar ouvir o recado técnico exclamado pelos altifalantes: vamos ficar parados uns minutos devido a qualquer problema da linha. A música recupera o seu fulgor enquanto reparo que Guido se aproxima de Inês e Marta, mas não lhe adivinho qualquer sorte. Acertei. A carruagem lá arrancou.

Chegámos a uma das mais importantes estações. Uma daquelas em que as carruagens vazam quase até ao fim mas que se enchem novamente a uma velocidade e método pouco comuns na mentalidade lusitana. No meio da confusão percebo dois jovens “rebeldes”. Há que ter mais cuidado com os pertences. Um dos grandes trunfos dos Sony WF-1000X é o tamanho diminuto que nos permite encaixá-los perfeitamente dentro do ouvido sem sacrificar a estupenda qualidade de som e passo despercebido. O par é batido e balanceia-se de varão em varão com uma desenvoltura digna de um atleta de alta competição. Nem repararam num polícia que entrou atrás deles pela porta mais longínqua. É um jovem e atlético agente cuja pequena placa no peito descreve o seu número e o nome Mendes. Os putos continuam a fazer razias a quem vai de pé. Os ligeiros encontrões colocaram quase todos em alerta e até Guido já nem presta atenção ao ritmo que estava a ouvir.

Num rompante, mesmo antes das portas se abrirem antes da paragem, um dos miúdos faz um movimento de apanha com a mão. O embalo é rápido e arranca a correia da mala de uma senhora e, pelo caminho, o cabo dos auscultadores de Guido que os fazem cair e estatelar-se no chão onde são pontapeados para longe pela bota do agente Mendes que disparou na perseguição dos jovens.

Seguiu-se uma grande algazarra: a senhora gritava por socorro, Guido pelos seus defuntos auscultadores e Mendes para o walkie talkie clamando por reforços à saída da estação.

Ouvi tudo isto graças ao som adaptativo dos Sony ao ambiente que tem esta crueldade, a chamada à dura realidade quando menos a esperamos. A próxima estação é a minha e aproveito para retirar dos ouvidos os WF-1000X. Enquanto os coloco na pequena caixa de transporte que também os recarrega, olho para Ana Maria que continua a tentar perceber o que raio é isto que arrumei.

Pisco-lhe o olho ao sair pela porta e percebo-lhe um sorriso tímido e corado.

Andar de Metro tem destas coisas, histórias que passam a memórias embaladas pela banda sonora que é, afinal, a nossa vida.


ELEGANTE, FINA E SOFISTICADA – A NOVA CANON POWERSHOT G9 X MARK II

A Canon atualizou recentemente a sua reconhecida gama PowerShot G com a nova PowerShot G9 X Mark II, uma câmara portátil e compacta. Oferecendo velocidades de disparo contínuas super-rápidas de até 8.2 fps, um amplo sensor tipo 1.0 de 20.1 megapixéis e o processador Canon DIGIC 7, a câmara oferece um desempenho fiável e resultados impressionantes em cada disparo. Quer seja um entusiasta à procura de uma companhia fiável, ou esteja preparado para fazer um upgrade ao smartphone, a PowerShot G9 X Mark II é a câmara certa para si.

Poder, desempenho, precisão

Graças à combinação do DIGIC 7 com o sensor CMOS, a PowerShot G9 X Mark II oferece um desempenho significativamente melhorado e resultados de elevada qualidade. A estabilização de imagem de duplo sensor oferece correção de 3.5 stops através de um processamento de estabilização paralelo, ideal para fotografar em movimento uma vez que mantém a imagem estável mesmo quando a sua mão não está. Para momentos espontâneos – desde aparecimentos repentinos de animais a atuações de artistas de rua – os disparos contínuos a 8.2 frames por segundo juntamente com a focagem automática de 0.14 segundos asseguram que está sempre pronto a fotografar e que tem uma câmara que o acompanha. Para que consiga captar tudo numa fotografia, a PowerShot G9 X Mark II incorpora um zoom ótico de 3x e objetiva grande angular de 28 mm, ideal tanto para retratos como para paisagens.

Momentos memoráveis são captados com perfeita claridade, seja qual for a luminosidade. O sensor reduz significativamente o ruído e melhora o alcance dinâmico para um desempenho consistente de dia ou de noite, enquanto que a objetiva de abertura f/2.0 deixa entrar mais luz, deixando maior liberdade para utilizar valores de ISO mais baixos ou velocidades de obturação mais elevadas, criando belos efeitos de fundo desfocado. Para desfoque de movimento quando capta assuntos em deslocação, o novo filtro Auto ND restringe a luz que chega ao obturador, permitindo-lhe utilizar velocidades de obturação mais longas sem sobre-exposição.

Crie filmes de qualidade profissional

Liberte o videógrafo amador que há em si e capte incríveis filmes em Full HD; o melhorado modo de rastreamento do processador DIGIC 7 assegura que capta tudo, desde grandes e repentinos movimentos a pequenas alterações como expressões faciais. Quer esteja a escalar uma montanha ou a explorar uma cidade, não é preciso ficar quieto. O Estabilizador de Imagem Dinâmico da Canon corrige automaticamente os movimentos de câmara, ajudando a fotografar desde qualquer ângulo mesmo em movimento. Para criações únicas a PowerShot G9 X Mark II inclui modo de vídeo Time-Lapse, com uma variedade de definições que lhe dão controlo criativo.

Uma potência portátil

A PowerShot G9 X Mark II oferece desempenho incrível num design minimalista e estilo retro, com um corpo de alumínio compacto e elegante – 25% mais pequena que a G7 X Mark II. Com apenas 206g, é perfeita para levar no bolso sem fazer pesar. A câmara apresenta um design minimalista com um LCD tátil intuitivo com total controlo e acesso às definições, enquanto que o anel de controlo da objetiva dá um maior controlo da abertura, velocidade de obturação e zoom.

Fique conectado e partilhe as suas criações

Mantenha-se ligado ao Wi-Fi com apenas um toque. O NFC Dinâmico permite-lhe conectar-se rapidamente e transferir imagens para dispositivos inteligentes compatíveis, incluindo a Canon Connect Station, para que possa partilhar e armazenar facilmente as suas imagens e filmes. A nova compatibilidade Bluetooth significa que pode manter a câmara constantemente conectada, para que possa visualizar e partilhar as suas fotografias via smartphone ou tablet mesmo quando a sua câmara está guardada. Com estas opções de conetividade pode ainda utilizar o Wireless Remote Shooting através de dispositivos inteligentes, que o ajuda a conseguir fotos de grupo e selfies perfeitas. Com o carregamento por USB, pode carregar convenientemente a bateria em qualquer lugar que as suas aventuras o levem.


HUAWEI CONSUMER BUSINESS GROUP REVELA EXPECTATIVA DE FORTES RESULTADOS EM 2016

No início de Janeiro de 2017, a Huawei Consumer Business Group (CBG) revelou as suas expectativas para os resultados da sua performance anual em 2016. A marca prevê uma receita de 178 mil milhões de Renmimbi (RMB) em vendas, mais 42% do que no ano anterior, atingindo assim um crescimento estável pelo quinto ano consecutivo. As exportações de smartphones atingiram 139 milhões de unidades, um crescimento de 29%; Sendo que o aumento das exportações globais de smartphones, de acordo com o IDC, foi apenas de 0.6% em 2016, significa que a Huawei superou o mercado em geral.

Richard Yu, CEO da Huawei Consumer BG, disse que “apesar das condições difíceis do mercado, a Huawei continua a crescer a uma grande velocidade, capaz de liderar a indústria. Acreditamos que estes resultados são fruto da nossa abordagem centrada no consumidor, focada em criar significativas inovações, como também no nosso constante compromisso em construir uma marca premium, reforçando os nossos canais globais e capacidade de serviço. Em 2017, iremos reforçar a nossa rede de fornecedores, bem como I&D e serviços, e outras áreas necessárias para agilizar as nossas operações, a eficiência do processo de tomada de decisão e sua implementação, continuar a nossa estratégia de internacionalização e desenvolver proactivamente ainda mais capacidades no futuro”.

Foco na inovação e liderança nas novas tendências tecnológicas

Enquanto a indústria global de smartphones está a abrandar o seu crescimento incluindo em termos de inovação, a Huawei Consumer BG continua o foco na construção premium dos seus produtos e cria novas tendências, sendo pioneira em desenvolvimentos disruptivos em áreas chave da tecnologia na indústria. Em 2016, a Huawei concentrou-se no desenvolvimento de áreas como o interface EMUI (baseado no Android), tecnologia dupla-lente nas câmaras fotográficas, inteligência artificial, entre outras inovações.


TRANSFORME A SUA TELEVISÃO NUM DISPOSITIVO MULTIMÉDIA COM A BOX TBEE

Ouvir música, fazer compras, ler, jogar, agendar compromissos, falar com os amigos no estrangeiro, ver filmes e programas internacionais ou reproduzir fotografias e vídeos das férias, tudo é possível através da TBee, uma box 100 por cento portuguesa, acabada de lançar no mercado pela Quidbox.

A partir de uma tecnologia inovadora, este dispositivo transforma a forma como vemos televisão: com mais funcionalidades, mais conteúdos, mais interatividade, e controlo por gestos e voz. Destinado aos amantes da tecnologia, a TBee vem complementar os modelos de box das operadoras, na área da smart home, com novas funcionalidades: jogos, televisão a partir da internet, vídeos (streaming), música, social media e videochamadas, e pesquisa de qualquer tipo de conteúdos.

Trata-se de um dispositivo com tecnologia android que, tal como um smartphone, permite descarregar aplicações conhecidas como Spotify, Skype, Netflix, Youtube, e também de saúde e bem-estar, onde pode consultar dados de atividade física e nutrição, com um possível emparelhamento com as pulseiras fitbit. Através da TBee, pode também criar perfis personalizados de utilizadores e, de cada vez que liga a televisão, pode assistir a conteúdos e programas já selecionados, de acordo com o histórico de interesses.

A TBee conta com câmara incorporada, que permite não só a realização de videoconferências, como também o controlo da box, por gestos e voz. A box vem equipada com wi-fi, bluetooth e infravermelhos.

Disponível para venda online e em espaços comerciais como Worten, Media Markt, El Corte Inglês, PC Dica e pontos CTT, a TBee não tem qualquer tipo de mensalidade associado, estando à venda por 179,90 euros, com atualizações regulares grátis.


FICHA TÉCNICA
Diretora: Ana Paula Cecília
Redacção: Ana Paula Cecília
Design e paginação: Design Glow

Fotografia: Sara Butler, iStockphoto e António Camilo
Video: Sara Butler
Marketing e Publicidade: Pedro Silva

Colaboradores: Augusto Monteiro, Daniel Furet, João Felgueiras, Sebastião Camões

Propriedade: Ana Paula Cordeiro Cecília e Carla Cecília

Newsletter

SOCIAL MEDIA
9
POLÍTICA DE PRIVACIDADE

1. Todo o conteúdo deste site, inclusive textos, gráficos, logótipos, ícones e imagens, é propriedade exclusiva da Intergráficas e está protegido pelas leis nacionais e internacionais de copyright, bem como a compilação, edição e montagem, de todo ou em parte do conteúdo deste site.

2. O website da Intergráficas é de livre acesso a qualquer utilizador. Tem como objectivo, promover e informar os utilizadores dos produtos e serviços da Intergráficas.

3. A Intergráficas não se responsabiliza por eventuais interrupções na consulta do website. É proibida qualquer ligação (link) do domínio www.Intergraficas.pt, ou noutro qualquer website, sem uma permissão por escrito da Intergráficas.